segunda-feira, 7 de maio de 2012

Phil no País de Oz #2

Capítulo 2
(para quem voou na primeira parte, até aqui a história é um Mágico de Oz Vs Alice no País das Maravilhas... até aqui...)
Phil Santos não fazia a mínima ideia de onde estava, olhava ao redor e só enxergava verde, verde claro e um pouco de verde escuro também. Ah, e um pouco de marrom no chão, mas só um pouco. Estava começando a se sentir um pouco claustrofóbico, afinal nunca gostara muito de verde. Preferia amarelo (vai ver pela farda do estágio que era obrigado a vestir todo santo dia).
De repente percebeu que o caminho se abria à sua frente. O matagal em que estava preso terminava abruptamente em frente a um poste enferrujado que estava apagado. Ele observou intrigado aquele objeto e se perguntou o que um poste fazia num lugar daqueles, sem nada que fizesse sentido iluminar. Então ignorou o fato, pois a hora estava correndo e ia acabar chegando atrasado para a aula.
Agora a paisagem era outra. Uma área aberta grande demais para ser dentro da UFRPE, conhecida por ser um monte de mato no meio do Recife. No chão apenas uma trilha quase cercada dos dois lados por inúmeras plaquinhas vermelhas com a inscrição "Cidade da Comida de Ouro". "Bom, se seguindo as placas eu chegar lá, então tá beleza", pensou ele.
Foi então que reencontrou o sagui nervoso que pulava de placa em placa, mas que agora dizia:
-Estou reprovado! Meu Deus, assim eu vou ser reprovado!
-Calma aí cara, ainda é o primeiro dia de aula... - falou Phil tentando acalmar o pequeno animal que parecia estar fazendo uma final de Cálculo 1 de Didier, mas que não deu atenção ao rapaz e continuou pulando de placa em placa.
Percebendo que seria ignorado todas as vezes que tentasse falar com o animal, Phil apenas continuou andando e logo se deparou com um gato vindo em sua direção, mas um gato um tanto estranho. Tinha um sorriso enorme com um rosto quase humano, um pelo dourado e uma juba que refletia a luz do sol encadeando a visão do graduando. O animal se aproximou e disse:
-Bem-vindo à minha terra. Eu sou Aslam de Chesire.
-Ôpa, obrigado. Eu sou o Philippe, mas pode me chamar de Phil... Tipo "fio" mesmo, se você chamar na rua "ei fio!" eu vou olhar hahahaha - respondeu simpático.
-Pelo que vejo posso ajudá-lo em alguma coisa, está procurando algo específico nessa região?
-Ah, sim, já que você perguntou, tô procurando a saída daqui. Eu tava indo pra aula, aí vi um sagui doido dizendo que tava atrasado ai fui tentar ajudar ele e acabei caindo aqui - falava apontando para todos os lados possíveis com as mãos.
-Ah, você conheceu o Einstein. Não se preocupe, ele não está atrasado para lugar nenhum, nem reprovado em nada. Ele já foi um estudante tempos atrás da universidade de onde você veio, quando ainda se aceitavam animais falantes como alunos, mas um dia se atrasou porque a mãe dele não deixou que saísse de casa sem fazer o que ela havia pedido há horas: limpar as folhas que tinham caído dentro da sua toca. Então ele perdeu a hora da final de Cálculo 1 e ficou desse jeito, pois seu sonho era ser laureado e tendo reprovado essa disciplina nunca ficaria à frente do CDF da turma que não conseguia tirar notas menores que 8. Mas deixemos ele para lá, se você quiser sair daqui só precisa continuar seguindo as plaquinhas vermelhas e chegará à saída, não é difícil.
-Beleza então, vou lá senão vou chegar atrasado.
-Boa viagem e lembre-se: "quando estiver na frente do reto fique esperto, calado e quieto".
O menino dos cachinhos enrolados não entendeu o sentido daquilo, mas mesmo assim agradeceu novamente e foi embora.
E continuou seguindo as plaquinhas em busca da Cidade da Comida de Ouro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário