sábado, 28 de abril de 2012

A Saga do Imperador - 02 - BCC Wars #4

PARTE 4 (final)           
Encarei minha adversária. Seu rosto refletia uma falsa inocência, mas apesar de parecer uma menina indefesa, agora eu tinha noção da sua capacidade de matar pessoas chutando gatos. E sabia que minha força não seria suficiente para derrotá-la. Dayanne Araujo, nesse momento, era mais forte que eu.
Mas então vi Mary se aproximando com uma jarra de vitamina de banana.
-Você achou algum lugar que vendesse vitamina king size? - perguntei espantado.
-Não, não achei nenhum lugar que vendesse vitamina com farinha láctea, então fui em casa e fiz para você... - respondeu sorrindo, como se isso fosse fácil de fazer.
-Mas você mora A QUILÔMETROS daqui, como poderia ter feito isso tão rápido?!
-Não importa, agora vai atrás de Sergio para impedir ele, eu cuido de Day.
-Não, eu não posso deixar você fazer isso! Você vai morrer se tentar parar ela, você não tem a força!
-Relaxa garoto, vai lá que eu cuido dela. - respondeu calmamente beijando meu rosto em seguida.
Sem conseguir pensar muito bem nesse momento, aceitei o pedido. E fiquei mais tranquilo quando Thomás Leal chegou no momento gritando "É HORA DE MORFAR! TIRANOSSAURO!".
-Relaxa, Jonathan, eu e Mary vamos parar essa maluca, vá impedir Sérgio! – disse já vestido com seu uniforme vermelho.
Apenas balancei a cabeça aceitando e saí para o lado oposto da luta que se formava, buscando a entrada do estacionamento subterrâneo. Não sabia por onde começar a procurar, mas sabia que precisava parar para beber a fonte do meu poder (que ia levar um pouco de tempo, já que a bebida era um tanto grossa)... Encontrei uma vaga vazia entre dois carros, sentei e comecei a beber aos poucos.
Segundos após o primeiro gole, pude sentir o poder renascendo. Senti algo como uma onda se formando no meu estômago e tomando conta do meu corpo debaixo para cima! Mas momentos depois descobri que era apenas um arroto. Então deixei tudo para lá e bebi o quanto aguentei.
Quando terminei me levantei ainda um pouco pesado e procurei a escada. Começaria a procurar Sérgio no mesmo lugar onde o vi pela última vez. E acabou sendo uma boa escolha, porque ele ainda estava lá, em frente à bilheteria do Centro de Convenções.
-Ora, ora, você voltou para morrer... - desafiou Sérgio, confiante.
-Veremos que irá morrer aqui... Caramba, agora até eu tô falando feito seriado japonês! Mas que seja, não vou deixar que cumpra seu plano comunista!
-Então você conseguiu ler o que tava escrito no celular... - disse introduzindo seu discurso. - Mas não é um plano perfeito? Eu e Itamar só precisávamos fingir sermos capitalistas com postagens e comentários anticomunistas e ninguém perceberia que somos infiltrados do DCE tentando tomar o poder do curso e implantar um centro de desenvolvimento de Ubuntu em BCC! VAMOS DESTRUIR AS GIGANTES CAPITALISTAS! VIVA O SOFTWARE LIVRE! - e começou a rir como um louco descontrolado. - MUAHAHAHAHAHA...
-Nunca deixarei você fazer isso! O poder da Microsoft é bem maior que o dessa distribuição meia boca!
Nesse momento puxei meu Nokia 1100 do bolso direito da calça e o liguei! Era meu Tijolo de Luz! Sérgio pegou seu Nokia 3310. Seria uma luta difícil, a arma dele era indestrutível! Para que eu tivesse uma chance teria de desarmá-lo.
Andamos um em direção ao outro e a luta começou. Lutamos com habilidade, manejando nossos Tijolos de Luz como mestres da arte dos SwordPhones. Em um momento percebi a guarda do meu adversário aberta, então pensei rápido e lancei um lixeiro na cabeça do inimigo, fazendo-o cair no chão e soltar seu 3310 que saiu escorregando para um canto da parede. Antes que ele se recuperasse da tontura causada pela pancada, fiz sua arma ser jogada a uma grande distância para que não pudesse mais usá-la. Agora eu tinha uma chance maior de derrotá-lo!
Mas quando me aproximei achando que ele ainda estivesse tonto, ele arrancou com a telecinese um extintor da parede e o jogou em minha direção. O objeto se chocou com meu braço, fazendo minha arma também se perder em algum lugar atrás de mim. Agora a luta seria no braço!
Mas sendo alunos de BCC, não sabemos nem temos força para lutar. Então paramos onde estávamos. Eu comecei a concentrar meu poder entre minhas duas mãos. Ele repetiu o movimento. Em instantes surgiram esferas de poder em nossas mãos que cresciam lentamente. Quando o poder se tornou grande demais para suportarmos, atacamos um ao outro ao mesmo tempo.
Nossos poderes se chocaram e se mantiveram estáveis suportando um ao outro, até o momento em que se misturaram e acabaram por formar uma explosão gigantesca que nos lançou aos lados opostos do saguão onde estávamos nos deixando desacordados.
Acordei com alguém me balançando. O sol incomodava minha vista, astigmatismo é um saco. Era Mary que tentava me reanimar, pois meu adversário não estava derrotado, e se levantava lentamente. Então olhei ao redor e percebi que o lugar onde estávamos não existia mais, apenas os escombros deixados pela explosão. Ao ver que Sérgio se levantava lentamente, usei tudo o que sobrara de minha força para me por de pé novamente. Mas eu não teria condições de voltar à luta.
-Está derrotado, Windows Fanboy? - disse Sérgio sarcástico.
-Acho que não tenho mais forças para lutar... - disse em baixa voz para que apenas Mary me ouvisse.
-Sim, você tem! Porque eu coloquei um ingrediente especial na sua vitamina! - respondeu determinada.
-O que? Amor?
-Não... Duas colheres de Toddy!
Eu sorri ao ouvir aquilo. Eu ainda tinha um pouco de força para lutar! Mas como eu derrotaria meu inimigo?! Então eu descobri o que fazer!
-Sérgio, pode ser que eu realmente esteja quase derrotado, mas tenho como conseguir a energia necessária para acabar com isso!
Então concentrei toda a minha força que restara para falar por telepatia a todas as pessoas do mundo. "USUÁRIOS DO WINDOWS! TEMOS QUE VENCER O ATAQUE DOS SOFTWARES LIVRES! PRECISO DE SUA ENERGIA NESSE MOMENTO, APERTEM CTRL+ALT+DEL NOS SEUS COMPUTADORES NESSE EXATO MOMENTO!"
Então esperei por alguns momentos e comecei a sentir a energia chegando às minhas mãos! Levantei meus braços para concentrar toda aquela carga acima da minha cabeça e percebi o quão grande era aquele poder! Sérgio estava em pé, mas imóvel sem conseguir fazer nada naquele momento. Então fiz meu último esforço e lancei toda aquela energia que agora assumia a forma de uma imensa esfera azul escura na direção do meu inimigo.
-PELO PODER DA TELA AZUL! RAIO AZUL DA MORTE! - gritei quase instintivamente no momento do lançamento.
Um grito desesperado foi tudo que ouvi antes do clarão que se seguiu ao impacto.
Após isso caí ao chão desacordado. Era o fim dos infiltrados do DCE e do ataque dos softwares livres.
E quanto ao indestrutível Nokia 3310, ele nunca mais foi visto. Mas ninguém sabe quando pode ser achado novamente.
*Fim*
(História escrita por Jonathan Castro com sugestões de vários alunos de BCC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário