segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Aprendizagem acidental

Que pena, o Blogger não tem minha fonte preferida... Adoraria fazer minhas postagens em Tempus Sans, mas já que não tem, vai em Trebuchet mesmo... Não sei porque disse isso, mas vou logo ao assunto.
Acontece que esses dias, observando o ambiente ao meu redor (enquanto esperava o Barro/Macaxeira(Várzea), citado umas duas ou três postagens abaixo), percebi que o ambiente da UFRPE nos proporciona "aprendizado acidental". Parece bem óbvio pelo nome, mas não sei se é tão simples quanto parece... Julgue, você leitor, como achar. Enfim... Já até me perguntei se isso não é uma experiência do MEC, mas do jeito que faz (m...) besteira no ENEM, achei um pouco difícil. É realmente apenas conhecidência.
Vamos refletir um pouco no que aprendemos: estratégias de caça dos felinos(Ciências Biológicas), ação de doenças de pele em cães(Veterinária), como o metano pode alterar o odor em ambientes habitados por animais (Química), o comportamento da queda de um gato do alto do CEGOE(Fisica), técnicas de colher jambos (Agronomia[eu acho]), e quem sabe mais alguns que ainda não foram descobertos por minha pessoa (nunca entendi quando falam "minha pessoa").
também, um aprendizado exclusivo para os usuários (não disso que você pensou) do famoso Barro/Macaxeira(Várzea). Aprendemos diariamente o Cálculo Lógico de Área. "Como assim?!" É bem simples. Em outros ônibus, fazemos cálculos infantis somando os lugares vagos. Porém no BMV(abreviei o nome para facilitar) somos levados a outro nível matemático de raciocínio, já que lugares vagos são um mito, passando assim, a calcular mentalmente os espaços vazios e sua capacidade de armazenamento temporário de passageiros. Parece complexo, não? Sim, é bem complexo. Somado ao agravante que o cálculo deve ser feito em segundos, pois é o tempo de que se dispõe para acertar a conta, ou o calculante ficará preso no meio do veículo.
Pois é, estudar na UFRPE nos faz mais inteligentes do que imaginamos.

Um comentário:

  1. A gente também aprende outro assunto de Química: como aprender a transformar água em detergente [ou o inverso, sei lá] , pra lavar as mãos decentemente, porque aqueles detergentes dos banheiros do CEGOE e água... é tudo a mesma coisa.

    ResponderExcluir