sexta-feira, 27 de agosto de 2010

A Teoria do Barro

Essas primeiras três semanas de aula já foram suficientes para me acostumar com a rotina da UFRPE, inclusive uma um tanto incômoda: a do Barro/Macaxeira(Várzea). Não, caro leitor, não ache que venho fazer um protesto nessa postagem, venho apenas divulgar uma nova teoria formulada por mim nesses dias. Ela se trata de uma contestação de uma lei da física e de uma fusão com um estudo do professor de história/sociologia/filosofia do meu antigo pré-vestibular (ou prévestibular, não lembro da regra dos hífens), o Prof.Albino. Digo só isso porque não lembro o primeiro nome dele. Mas vamos às explicações.
Primeiramente vou explicar o estudo do professor. Ele notou que os ônibus são compostos de dois, três ou quatro grupos de pessoas. O primeiro: os sentados; o segundo: os de pé; o terceiro: os do meio (que estão em pé atrás dos de pé); e o quarto grupo: aqueles que só tocam o chão com um dos pés e se equilibram no corpo dos outros, pois não acham lugar para segurar com as mãos. Uma observação sobre o quarto grupo: você nunca vai conseguir ver uma pessoa inteira que esteja no quarto grupo, terá sorte se conseguir ver as duas pernas ou os dois braços. Se conseguir ver os dois pés de uma pessoa nessa situação aconselho que nesse mesmo dia aposte na MegaSena, pois é seu dia de extrema sorte. Em segundo lugar quero lembrar aquela lei da física que diz: dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo.
Pois bem, estando explicadas as teorias a que irei me referir, começarei minha explanação científico-filosófica.
Essa teoria nasceu entre as 17:50 e as 18:10 do dia 27/08/2010. Ela se formou no momento em que eu tentava subir no Barro/Macaxeira(Várzea), enquanto empurrava e era empurrado por um número considerável de pessoas e se consolidou minutos depois, quando eu já estava dentro do ônibus. Depois de muito sacrifício consegui passar da catraca. O ônibus já estava consideravelmente cheio e o quarto grupo já estava quase completamente formado. Foi nesse momento que, procurando espaço para movimentar minha cabeça, olhei para baixo e percebi algo incrível: no momento em que se entra no ônibus da referida linha, você está automaticamente imune a algumas leis da física. Deste modo: é possível sim duas, na verdade três (um obrigado a Gisele que me ajudou com este dado muito importante), pessoas ocuparem o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo. Neste ônibus você está livre, em alguns momentos, da gravidade: é possível flutuar por até dois segundos e se sentir fora da órbita planetária, devido a súbitos de pressa do motorista passando por alguma subida de ponte. E ainda pode ficar livre da lei da inércia: se você for um componente do quarto grupo, não sentirá o movimento do ônibus, já que você está suspenso no ar pelos outros corpos.
Concluindo, digo que o ônibus Barro/Macaxeira(Várzea) tem um portal interdimensional que ainda não foi devidamente estudado. Quem sabe a Bússola de Ouro possa nos ajudar...
^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário